coronavírus

  1. Vacinas Brasileiras: promessas nacionais contra a Covid-19

    Vacinas Brasileiras: promessas nacionais contra a Covid-19

    A população não ve a hora de ter sua maioria vacinada para diminuir exponencialmente o número de mortes causadas pela Covid-19 e decretar o final da pandemia. Na esperança de que seja possível acelerar o processo e gerar anticorpos ainda mais resistentes, os pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo novas vacinas. Confira que estão em maior evidência:

    Butanvac (Instituto Butantan)

    Uma vez que já realizou os testes de laboratório, a Butanvac já está preparada para iniciar a fases do teste clínico, uma que verifica se o imunizante é seguro (fase 1), e outra que avalia as respostas do sistema imunológico (fase 2). O instituto já solicitou a autorização para a Anvisa no final de abril e aguarda um parecer para avançar esta etapa que pode durar até 20 semanas.

    Esta vacina utiliza um vírus que causa a gripe aviária, sendo inofensivo para o ser humano, modificand

    Leia mais »
  2. Saiba quais as restrições nas fases vermelha, laranja, amarela, verde e azul

    A vacinação já começou, mas isso não significa que a pandemia acabou. Por outro lado, os protocolos de segurança nunca foram tão importantes em uma fase tão aguda de contaminação pelo novo coronavírus em todo o Brasil. Pensando na proteção da população, o governo de São Paulo estabeleceu um plano que separa as fases da pandemia por cores, cada uma com um grau de restrição. Entenda todas as fases:

     

    Fase Emergencial

    Antes do lockdown, essa é a mais restritiva das fases. A grande maioria dos estabelecimentos não podem atender ao público presencialmente. Escritórios em geral, repartições públicas e serviços de tecnologia da informação, somente via telefone. Estabelecimentos comerciais em geral, de material de construção e produtos eletrônicos podem vender somente via delivery (entrega em casa) ou drive-thru (retirada do produto sem sair do carro) das 5h às 20h. Supermercados abrem das 5h às 20h, mas não aos domingos e eventos esportivos são

    Leia mais »
  3. Maio Amarelo propõe conscientização no trânsito

    O movimento “Maio Amarelo” é um dos mais conhecidos do brasileiro, pois tem um forte apelo que pode ser atendido por todos nós: chamar a atenção da população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito, e tomar medidas para diminuir esse número.

    Por conta da pandemia de Covid-19 e do alastramento do novo Coronavírus, a campanha “Maio Amarelo” está mais voltada ao digital este ano. Segundo o Relatório de Status Global sobre Segurança no Trânsito de 2019, realizado pela Organização Mundial da Saúde, a taxa de mortalidade no trânsito vem se mantendo estável nos últimos 15 anos em todo o mundo, por volta de 1,35 milhão de pessoas ao ano. Esse ainda é um número muito alto, que pode ser diminuído com ações de conscientização. No Brasil, o número de acidentes em rodovias diminuiu 2.6% em 2019 em relação a 2018, porém o número de mortos e feridos aumentou 3,3% no ano passado, a primeira vez que o índice cresce em sete anos. Foram 5.332 pessoas mortas em acidentes de trânsito.

    Em 2010, a Assembleia-Geral das Nações Unidas definiu o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. Desde então, a campanha “Maio Amarelo” tem ganhado mais força para conscientizar a população e evitar acidentes de trânsito, que já são os primeiros responsáveis por mortes de jovens no mundo na faixa entre 15 e 29 anos, por exemplo.

    As ações de conscientização podem ser realizadas por quaisquer instituições ou pessoas que queiram aderir à campanha no seu bairro ou comunidade. O site www.maioamarelo.com contém orientações e exemplos de ações voltadas aos cuidados no trânsito para total apoio.

    Leia mais »
  4. Dia da Cruz Vermelha: humanitarismo em primeiro lugar

    Hoje é o Dia Internacional da Cruz Vermelha, dia de comemorar a solidariedade em todo o mundo. A Cruz Vermelha é uma instituição global de apoio humanitário fundada em 1863, na Suíça, que já está presente em 190 países e conta com mais de 97 milhões de voluntários em todo o planeta. A instituição tem como fundamentos básicos a humanidade, imparcialidade, neutralidade, independência, voluntariado, unidade e universalidade.

    No Brasil, a Cruz Vermelha vem prestando apoio, principalmente, às vítimas de catástrofes naturais. Em 2017, por exemplo, deu assistência às vítimas de enchentes em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco e Amazonas, com atividades de conscientização para redução do risco de contaminação por mau uso da água. Nos últimos anos, a instituição vem desenvolvendo um projeto de combate ao mosquito transmissor da dengue e do Zika vírus.

    Diante da atual pandemia do novo Coronavírus, a Cruz Vermelha Brasileira vem realizando a campanha “Estamos Prontos”, de combate à Covid-19. Entre as atividades realizadas, as filiais da instituição têm distribuído doações, cestas básicas, kits de higienização e promovendo campanhas de vacinação em todo o país. Até o final de abril, segundo o site oficial, já haviam distribuído mais de 4.380 cestas básicas, 510 galões de água, 15.600 luvas de proteção e cerca de 22.649 máscaras, contabilizando mais de 50.500 pessoas beneficiadas pela instituição.

    Leia mais »
  5. Dia Mundial do Planeta Terra propõe reflexão sobre meio ambiente e a saúde humana em meio ao novo Coronavírus

    Esta semana houve o Dia Mundial do Planeta Terra, na terça-feira (22), uma celebração ao meio ambiente com o intuito de promover a conscientização ambiental na população. No entanto, essa data passou em meio à atual pandemia do novo Coronavírus e a doença que forçou a maioria da população mundial a ficar em casa, a Covid-19. Essas mudanças drásticas no dia a dia das pessoas geram consequências imediatas para o planeta também.

    Com a interrupção de indústrias e a diminuição de meios de transporte nas ruas, a poluição diminuiu e a qualidade do ar melhorou em muitas cidades que estão em quarentena, segundo imagens de satélite da NASA. No entanto, com as pessoas confinadas em suas casas, a produção de lixo e o consumo de energia aumentaram.

    É preciso buscar um equilíbrio. Pequenas atitudes ajudam muito, se cada um fizer a sua parte, como promover a coleta seletiva de lixo. Quando a rotina voltar, empresas podem procurar soluções menos poluentes e as pessoas podem utilizar mais transportes público para evitar grande circulação de carros.

     

    Saúde mundial

    A saúde de nosso planeta está comprometida, assim como a do ser humano neste momento. Já são mais de 180 mil mortes pelo novo Coronavírus e mais de 2,6 milhões de pessoas infectadas em todo o mundo, segundo balanço divulgado ontem (24/04/2020) pela AFP (Agence France-Press) com base em dados oficiais. Para não aumentar significativamente esses números, é preciso, novamente, que cada um faça sua parte. Lave as mãos com frequência e, se não tiver como, utilize álcool em gel; evite aglomerações e procure sair de casa com máscaras descartáveis, que protejam nariz e boca; evite levar as mãos ao rosto.

    Se todos tomarmos os devidos cuidados, precauções e atitudes conscientes, conseguiremos salvar tanto os homens e mulheres quanto o planeta.

    Leia mais »
  6. Dicas de alimentos que fortalecem o sistema imunológico

    Com a atual pandemia de Covid-19, é de extrema importância manter o sistema imunológico forte e resistente. Ainda não há vacina que combata o novo Coronavírus e a baixa imunidade pode facilitar a infecção deste e de outros vírus, fungos e bactérias mais. Há alguns alimentos que auxiliam na defesa do organismo aumentando a imunidade e podem ajudar a salvar vidas. Confira:

    • Frutas cítricas: laranja, kiwi e acerola são algumas das frutas que contém bastante vitamina C, além de oxidantes, que aumentam a resistência.
    • Verduras verde-escuras: brócolis, couve, rúcula, couve de Bruxelas e espinafre são exemplos de alimentos que têm vitaminas A, B6 e B12, além de ácido fólico, que auxilia no processo de maturação das células imunes do nosso organismo.
    • Cereais, castanhas e leguminosas: são vários alimentos ricos em zinco, como castanha-do-pará, nozes, cereais integrais, feijão, lentilha, grão de bico, entre outros.
    • Oleaginosas: os óleos vegetais, como o de girassol, de gérmen de trigo, de milho e de canola são ricos em vitamina E, essencial no combate à diminuição da imunidade que acontece com a idade, por isso muito indicado, principalmente, para idosos.
    • Fontes de Ômega-3: importante na regulação das células do sistema imunológico, o ômega-3 está presente no salmão, na linhaça, na sardinha, no atum, entre outros.
    • Iogurte natural: é rico em vitamina A e probióticos, as bactérias benéficas que ajudam a compor a flora intestinal.

    Há outros alimentos ricos em nutrientes e vitaminas que ajudam a fortalecer o sistema imunológico, como a cebola, o alho, o própolis, a batata yacon, o gengibre, a pimenta, mas antes de tudo, é preciso manter uma boa hidratação do organismo. Beber bastante água e manter-se sempre hidratado é essencial para fortalecer o corpo.

    Leia mais »
  7. Abril Azul: Autismo e inclusão social em tempos de Coronavírus

    Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma em cada 160 crianças no mundo tem o Transtorno do Espectro Autista (TEA), o que conhecemos mais popularmente como autismo.  A campanha Abril Azul foi criada com o intuito de trazer mais visibilidade ao tema. O autismo é um problema psiquiátrico que pode dar sinais já nos primeiros meses de vida, mas costuma ser identificado em crianças entre 1 e 3 anos. O desenvolvimento físico da pessoa com autismo não é afetado em nada pela sua condição psiquiátrica. No entanto, o autista tem dificuldade em se comunicar e em firmar relações sociais ou afetivas.

    Mesmo não estando no grupo de risco da Covid-19, esta nova doença traz grande preocupação para os pais de crianças autistas pela principal forma de prevenção: o isolamento social em casa. Além de prejudicar na inclusão social dessas crianças, elas precisam manter uma rotina, pois é um fator que as acalma. Por isso é preciso ter muita calma e compreensão nesse período, pois as pessoas com TEA devem ficar mais agressivas, irritadas e impacientes. Durante a quarentena, é preciso estabelecer uma nova rotina em casa, conferindo previsibilidade aos acontecimentos do dia e tentar manter algumas das atividades que já faziam parte da rotina anterior, como atividades escolares, por exemplo.

    Leia mais »
  8. Coronavírus: o que é e como se prevenir

    Muitas informações estão percorrendo a internet sobre a doença Covid-19 e o novo Coronavírus, por isso reunimos as principais dúvidas e questões sobre o assunto para que todos se mantenham bem informados, afinal, a informação é a melhor forma de prevenção.

    “Coronavírus” é o nome de uma família viral conhecida desde os anos 1960, que provoca infecções respiratórias entre outras doenças, tanto em seres humanos quanto em animais. A doença que está se espalhando atualmente pelo mundo foi nomeada de Covid-19 (uma abreviação em inglês para “doença por coronavírus 2019”), e foi descoberta ao final do ano passado, na China.

    Apesar de cientistas do mundo inteiro já estarem estudando o vírus, incluindo muitos brasileiros, até este momento não há uma vacina. Este processo leva tempo, mas há muitos estudiosos empenhados neste mesmo objetivo.

    A transmissão da Covid-19 acontece principalmente por vias respiratórias, contato físico e contato com superfícies contaminadas. Por isso a importância do autoisolamento e de lavar as mãos constantemente com água e sabão. Caso não tenha uma torneira por perto, leve sempre álcool em gel 70% para utilização nestas situações. Sempre que tocar em alguma superfície, qualquer superfície, incluindo e principalmente teclados de computadores e celulares, não leve a mão a regiões com mucosas, como olhos ou boca, antes de lavá-las. É importante também não compartilhar itens pessoais, como talheres ou toalhas.

    Os principais sintomas da Covid-19 se confundem bastante com os de uma gripe comum, mas o principal é a insuficiência respiratória, por isso fique alerta. Ir até um posto de saúde somente com sintomas de gripe pode ser arriscado, por isso é preciso ficar atento à respiração e procurar serviços médicos sempre que houver qualquer tipo de insuficiência ou problema respiratório. Ao procurar um hospital, tome medidas preventivas também, cubra a boca e o nariz ao espirrar (nunca com a mão, de preferência com um lenço descartável), lave as mãos com frequência, evite aglomerações e, se possível, mantenha-se em lugares mais arejados.

    Se estiver com sintomas, isole-se do restante da família sempre tomando cuidados com hidratação e repouso. Os familiares devem tomar as precauções indicadas, como lavar as mãos com frequência, não compartilhar objetos pessoais e evitar contato com secreções da pessoa com sintomas.

    Não há necessidade de a população em geral usar máscaras. Quem estiver saudável, não é preciso utilizar, somente manter as ações de prevenção citadas acima.

    Os governos de todo o mundo estão monitorando e tomando atitudes para que a situação melhore, mas cada um pode fazer a sua parte se seguir essas recomendações simples e diretas para prevenção. Evitando a contaminação, é possível conter a proliferação do vírus.

    Leia mais »