Prevenção

  1. Juntos contra o câncer de pele

    Todos os anos, são quase 200 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, o que corresponde a 33% dos diagnósticos de cânceres no nosso país. É preciso uma atenção muito especial, pois a prevenção requer ações simples.

    São dois os tipos de câncer de pele mais comuns, os não melanomas (carcinona basocelular e carcinoma epidermoide), que são mais frequentes e menos graves, e os melanomas que, devido ao risco maior de apresentar metástase, acabam sendo mais graves, embora menos frequentes.

    Os sintomas do câncer de pele são bem visíveis, caracterizados por manchas na pele que podem arder, coçar, descamar e até mesmo sangrar. A doença pode apresentar ainda algumas feridas na pele (se não cicatrizar até quatro semanas, caracteriza um sintoma). Lembrando sempre que, ao sinal de qualquer sintoma, um médico deve ser procurado imediatamente, para que possa ser dado o diagnóstico precoce.

    Para que se livre do câncer de pele de vez, é necessária uma pequena cirurgia na maior

    Leia mais »
  2. Vacinas Brasileiras: promessas nacionais contra a Covid-19

    Vacinas Brasileiras: promessas nacionais contra a Covid-19

    A população não ve a hora de ter sua maioria vacinada para diminuir exponencialmente o número de mortes causadas pela Covid-19 e decretar o final da pandemia. Na esperança de que seja possível acelerar o processo e gerar anticorpos ainda mais resistentes, os pesquisadores brasileiros estão desenvolvendo novas vacinas. Confira que estão em maior evidência:

    Butanvac (Instituto Butantan)

    Uma vez que já realizou os testes de laboratório, a Butanvac já está preparada para iniciar a fases do teste clínico, uma que verifica se o imunizante é seguro (fase 1), e outra que avalia as respostas do sistema imunológico (fase 2). O instituto já solicitou a autorização para a Anvisa no final de abril e aguarda um parecer para avançar esta etapa que pode durar até 20 semanas.

    Esta vacina utiliza um vírus que causa a gripe aviária, sendo inofensivo para o ser humano, modificand

    Leia mais »
  3. Saiba quais as restrições nas fases vermelha, laranja, amarela, verde e azul

    A vacinação já começou, mas isso não significa que a pandemia acabou. Por outro lado, os protocolos de segurança nunca foram tão importantes em uma fase tão aguda de contaminação pelo novo coronavírus em todo o Brasil. Pensando na proteção da população, o governo de São Paulo estabeleceu um plano que separa as fases da pandemia por cores, cada uma com um grau de restrição. Entenda todas as fases:

     

    Fase Emergencial

    Antes do lockdown, essa é a mais restritiva das fases. A grande maioria dos estabelecimentos não podem atender ao público presencialmente. Escritórios em geral, repartições públicas e serviços de tecnologia da informação, somente via telefone. Estabelecimentos comerciais em geral, de material de construção e produtos eletrônicos podem vender somente via delivery (entrega em casa) ou drive-thru (retirada do produto sem sair do carro) das 5h às 20h. Supermercados abrem das 5h às 20h, mas não aos domingos e eventos esportivos são

    Leia mais »
  4. Março Lilás: Prevenção do câncer cervical

    Em apoio a Campanha Março Lilás, o Grupo Total entrevistou Fabio Zola, Oncologista Clínico, sobre o câncer do colo do útero, também chamado câncer cervical. Neste mês de prevenção, atenção e combate da doença, colocamos em foco a importância do exame preventivo e informações sobre sintomas e diagnóstico. Confira a conversa completa com o médico:

    – O que é o câncer de colo de útero e como ele age no organismo da mulher?
    Também chamado de câncer cervical, é um tipo de tumor maligno que ocorre na região inferior do colo do uterino que fica localizado no fundo da vagina. Geralmente associado a uma infecção persistente por alguns tipos Papiloma humano (HPV). A infecção por esse vírus é muito frequente na população e não causa doença na maioria das vezes, mas pode ter a evolução desta infeção que leva a alterações celulares até a formação de um câncer. Como existe esse tempo entre a infecção inicial até a progressão para o tumor, pode ser descoberto e tratado a temp

    Leia mais »
  5. Verão e doenças associadas ao Aedes aegypti

    As constantes chuvas e o calor são condições favoráveis para aumentar a proliferação do Aedes Aegypti, um mosquito que já se reproduz o ano todo. Por isso, a chegada no verão no Brasil e do clima chuvoso em diversas regiões do país é uma preocupação de saúde pública que não deve ser negligenciada pelas autoridades da saúde e pela sociedade.

     

    Dengue

    A dengue, infelizmente, já é uma doença bem conhecida no Brasil e no mundo, causada por um vírus e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Só em 2020, o Ministério da Saúde registrou quase 1 milhão de casos até 14 de novembro. Desses, 528 pessoas morreram. Lembre-se de não deixar água parada, principalmente em época de chuvas.

     

    Zika Vírus

    Mais um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o Zika Vírus apresenta sintomas semelhantes ao da dengue, que começam a aparecer de 3 a 12 dias após a transmissão. No entanto, a grande maioria das p

    Leia mais »
  6. Conheça a doença falciforme e a importância do teste do pezinho

    Um dos distúrbios genéticos mais comuns no Brasil, a doença falciforme tem esse nome devido a uma alteração ocorrida nos glóbulos vermelhos do sangue, que tomam um formato parecido a uma foice. Esse aspecto diferente das hemácias dificultam a circulação de oxigênio nos tecidos de todo o corpo, causando palidez, desidratação, infecções frequentes, cansaço intenso, dores no corpo (principalmente nas pernas, tórax e articulações), e podendo causar, inclusive, acidentes vasculares cerebrais (AVC).

    Segundo estatística do Ministério da Saúde divulgada em 2018, há entre 25 e 50 mil pessoas no Brasil vivendo com a doença falciforme que, por ser um distúrbio genético, é hereditário. A doença começa a se manifestar já no primeiro ano de vida do bebê, por volta dos seis meses. Por isso o popular teste do pezinho, realizado já nos primeiros dias de vida do bebê, é de extrema importância para identificar essa alteração nas hemácias e dar início ao tratamento, que envolve a prevenção de infecções, transfusão de sangue, alguns medicamentos específicos de uso oral, entre outros recursos.

    A doença falciforme tem diferentes graus de gravidade e o transplante de medula óssea tem curado alguns casos com êxito dessa doença em crianças, principalmente, apesar de ser um tratamento ainda em fase experimental.

    Você, mãe! Não deixe de fazer o teste do pezinho em seu bebê! É possível conviver com a doença falciforme, mas quanto antes identificar o distúrbio e começar o tratamento, é possível garantir uma melhor qualidade de vida para seu filho.

    Leia mais »
  7. Maio Roxo alerta para doenças inflamatórias intestinais

    Outra campanha que também acontece durante este mês é a “Maio Roxo”, voltada à conscientização sobre as doenças inflamatórias intestinais (ou DII). Existem três tipos de DII: a doença de Chron, que se manifesta em qualquer parte do sistema digestório; a retocolite ulcerativa, que provoca a inflamação da mucosa do intestino grosso; e uma terceira não classificada, que possui características de ambas as anteriores. Quanto antes o paciente procurar o médico e identificar a DII, mais cedo se inicia o tratamento e passa a ter uma qualidade de vida melhor.

    Segundo a pesquisa Jornada do Paciente com DII, realizada pela Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), essas doenças prejudicam significativamente a vida de 78% dos pacientes que as têm.

    As DII ainda não têm causa comprovada, mas podem estar relacionadas principalmente a fatores hereditários e imunológicos, além de poderem ser agravadas por hábitos diários. Também não possuem uma cura, mas o diagnóstico precoce pode levar a um tratamento, permitindo que a pessoa controle a DII e tenha uma qualidade de vida melhor, podendo ficar até completamente assintomático.

    A alimentação é um fator determinante para viver bem com a DII. É preciso evitar bebidas alcóolicas, chocolate, chá preto, café e a ingestão de alimentos considerados constipantes ou que aumentem a produção excessiva de gases.

    Ao sentir qualquer sintoma, procure o seu médico.

    Leia mais »
  8. Maio Amarelo propõe conscientização no trânsito

    O movimento “Maio Amarelo” é um dos mais conhecidos do brasileiro, pois tem um forte apelo que pode ser atendido por todos nós: chamar a atenção da população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito, e tomar medidas para diminuir esse número.

    Por conta da pandemia de Covid-19 e do alastramento do novo Coronavírus, a campanha “Maio Amarelo” está mais voltada ao digital este ano. Segundo o Relatório de Status Global sobre Segurança no Trânsito de 2019, realizado pela Organização Mundial da Saúde, a taxa de mortalidade no trânsito vem se mantendo estável nos últimos 15 anos em todo o mundo, por volta de 1,35 milhão de pessoas ao ano. Esse ainda é um número muito alto, que pode ser diminuído com ações de conscientização. No Brasil, o número de acidentes em rodovias diminuiu 2.6% em 2019 em relação a 2018, porém o número de mortos e feridos aumentou 3,3% no ano passado, a primeira vez que o índice cresce em sete anos. Foram 5.332 pessoas mortas em acidentes de trânsito.

    Em 2010, a Assembleia-Geral das Nações Unidas definiu o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. Desde então, a campanha “Maio Amarelo” tem ganhado mais força para conscientizar a população e evitar acidentes de trânsito, que já são os primeiros responsáveis por mortes de jovens no mundo na faixa entre 15 e 29 anos, por exemplo.

    As ações de conscientização podem ser realizadas por quaisquer instituições ou pessoas que queiram aderir à campanha no seu bairro ou comunidade. O site www.maioamarelo.com contém orientações e exemplos de ações voltadas aos cuidados no trânsito para total apoio.

    Leia mais »
  9. Dia da Cruz Vermelha: humanitarismo em primeiro lugar

    Hoje é o Dia Internacional da Cruz Vermelha, dia de comemorar a solidariedade em todo o mundo. A Cruz Vermelha é uma instituição global de apoio humanitário fundada em 1863, na Suíça, que já está presente em 190 países e conta com mais de 97 milhões de voluntários em todo o planeta. A instituição tem como fundamentos básicos a humanidade, imparcialidade, neutralidade, independência, voluntariado, unidade e universalidade.

    No Brasil, a Cruz Vermelha vem prestando apoio, principalmente, às vítimas de catástrofes naturais. Em 2017, por exemplo, deu assistência às vítimas de enchentes em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco e Amazonas, com atividades de conscientização para redução do risco de contaminação por mau uso da água. Nos últimos anos, a instituição vem desenvolvendo um projeto de combate ao mosquito transmissor da dengue e do Zika vírus.

    Diante da atual pandemia do novo Coronavírus, a Cruz Vermelha Brasileira vem realizando a campanha “Estamos Prontos”, de combate à Covid-19. Entre as atividades realizadas, as filiais da instituição têm distribuído doações, cestas básicas, kits de higienização e promovendo campanhas de vacinação em todo o país. Até o final de abril, segundo o site oficial, já haviam distribuído mais de 4.380 cestas básicas, 510 galões de água, 15.600 luvas de proteção e cerca de 22.649 máscaras, contabilizando mais de 50.500 pessoas beneficiadas pela instituição.

    Leia mais »
  10. Dia Mundial do Planeta Terra propõe reflexão sobre meio ambiente e a saúde humana em meio ao novo Coronavírus

    Esta semana houve o Dia Mundial do Planeta Terra, na terça-feira (22), uma celebração ao meio ambiente com o intuito de promover a conscientização ambiental na população. No entanto, essa data passou em meio à atual pandemia do novo Coronavírus e a doença que forçou a maioria da população mundial a ficar em casa, a Covid-19. Essas mudanças drásticas no dia a dia das pessoas geram consequências imediatas para o planeta também.

    Com a interrupção de indústrias e a diminuição de meios de transporte nas ruas, a poluição diminuiu e a qualidade do ar melhorou em muitas cidades que estão em quarentena, segundo imagens de satélite da NASA. No entanto, com as pessoas confinadas em suas casas, a produção de lixo e o consumo de energia aumentaram.

    É preciso buscar um equilíbrio. Pequenas atitudes ajudam muito, se cada um fizer a sua parte, como promover a coleta seletiva de lixo. Quando a rotina voltar, empresas podem procurar soluções menos poluentes e as pessoas podem utilizar mais transportes público para evitar grande circulação de carros.

     

    Saúde mundial

    A saúde de nosso planeta está comprometida, assim como a do ser humano neste momento. Já são mais de 180 mil mortes pelo novo Coronavírus e mais de 2,6 milhões de pessoas infectadas em todo o mundo, segundo balanço divulgado ontem (24/04/2020) pela AFP (Agence France-Press) com base em dados oficiais. Para não aumentar significativamente esses números, é preciso, novamente, que cada um faça sua parte. Lave as mãos com frequência e, se não tiver como, utilize álcool em gel; evite aglomerações e procure sair de casa com máscaras descartáveis, que protejam nariz e boca; evite levar as mãos ao rosto.

    Se todos tomarmos os devidos cuidados, precauções e atitudes conscientes, conseguiremos salvar tanto os homens e mulheres quanto o planeta.

    Leia mais »
Página