Câncer

  1. Juntos contra o câncer de pele

    Todos os anos, são quase 200 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, o que corresponde a 33% dos diagnósticos de cânceres no nosso país. É preciso uma atenção muito especial, pois a prevenção requer ações simples.

    São dois os tipos de câncer de pele mais comuns, os não melanomas (carcinona basocelular e carcinoma epidermoide), que são mais frequentes e menos graves, e os melanomas que, devido ao risco maior de apresentar metástase, acabam sendo mais graves, embora menos frequentes.

    Os sintomas do câncer de pele são bem visíveis, caracterizados por manchas na pele que podem arder, coçar, descamar e até mesmo sangrar. A doença pode apresentar ainda algumas feridas na pele (se não cicatrizar até quatro semanas, caracteriza um sintoma). Lembrando sempre que, ao sinal de qualquer sintoma, um médico deve ser procurado imediatamente, para que possa ser dado o diagnóstico precoce.

    Para que se livre do câncer de pele de vez, é necessária uma pequena cirurgia na maior

    Leia mais »
  2. Fevereiro Laranja e o combate à leucemia

    Por meio de ações, os meses de conscientização são responsáveis por divulgar informações e impulsionar a cooperação da sociedade em questões de saúde extremamente relevantes. A campanha Fevereiro Laranja alerta sobre a leucemia em prol da doação de medula óssea, um ato de suma importância para aqueles que são diagnosticados com a doença, e que encontram dificuldades na procura por doadores de medula óssea compatíveis: a relação de compatibilidade pode ser de 1 para cem mil ou até mais.
    Maria do Carmo Favarin é hematologista e, de maneira didática, explica o que é a leucemia e as diferenças que existem entre os casos e suas classificações. Além disso, a entrevistada pelo Grupo Total relata quais são os principais sintomas, diagnósticos e etapas fundamentais para consolidar um tratamento adequado aos pacientes. Entenda a importância de ser um doador:

    Leia mais »
  3. Março Lilás alerta para a prevenção do câncer de colo de útero

    A campanha “Março Lilás” chama a atenção para o câncer de colo de útero, uma doença de desenvolvimento lento, que pode, inclusive, não apresentar sintomas em sua fase inicial. Nos estados mais avançados, este câncer pode causar sangramentos vaginais, fadiga, perda de peso sem motivo aparente, náuseas, dor abdominal e menstruação irregular. A conscientização e a prevenção são muito importantes e podem começar desde cedo, uma vez que a doença é causada por uma infecção persistente por tipos de HPV.

    Entre as principais formas de prevenção está a vacina contra HPV, que já pode ser aplicada em meninas a partir de 9 anos de idade. Uma vez que o HPV é sexualmente transmissível, o uso de camisinha durante as relações sexuais também é uma eficiente forma de prevenção. Há também o exame de papanicolau, exame rápido e simples que coleta células do colo do útero, pelas quais é possível identificar alguma variação ou mesmo infecção. O ideal é que mulheres com mais de 25 anos e vida sexual ativa façam a cada três anos. 

    O câncer de colo de útero apresenta cerca de 570 mil novos casos por ano em todo o mundo e, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), deve se manifestar em 16.590 brasileiras durante o ano de 2020. Por isso o “Março Lilás” busca conscientizar as mulheres sobre a importância de se prevenir contra o câncer do colo do útero, a quarta maior causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Fique atenta! Faça seus exames e busque por saúde sempre!

    Leia mais »
  4. Fevereiro laranja: saiba mais sobre a leucemia e o REDOME

    Se fevereiro é um mês geralmente ligado a festa e ao carnaval, a cor que foi atribuída a ele também tem motivos para comemorar. Já começou a campanha Fevereiro Laranja, que visa o alerta sobre a leucemia, um tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos do sangue e, felizmente, tem cura.

    No entanto, os casos vêm aumentando no Brasil. Segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer, já são quase 10,8 mil casos novos da doença ao ano no país.

    Há tipos de leucemia, uns mais leves e outros mais agressivos. Por afetar diretamente o sistema circulatório, alguns dos sintomas incluem palidez, febre, dor óssea e hematomas no corpo.

    A boa notícia é que a leucemia tem cura, se descoberta precocemente, por isso a importância de estar atento aos sintomas. Um simples exame de sangue já pode servir de alerta para o médico.

    O tratamento da leucemia pode ser realizado por quimioterapia, radioterapia e imunoterapia. Em muitos casos, pode ser necessário um transplante de medula óssea e, para essa finalidade, há o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (ou REDOME), uma importante base de cadastros gerida hoje pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), no Rio de Janeiro.

    O REDOME reúne mais de 4 milhões de doadores cadastrados, mas é preciso lembrar que, a cada cem mil pacientes, apenas um doador é compatívelPara se cadastrar no REDOME e se tornar um doador de medula óssea, basta ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado geral de saúde. O cadastro é realizado pelos Bancos de Sangue Públicos (ou Hemocentros Regionais) e devem ser mantidos sempre atualizados.

    Você também pode salvar vidas! Seja um doador de medula óssea. Acesse http://redome.inca.gov.br/

    Leia mais »
  5. Dezembro laranja: a importância do cuidado com a pele

    O último mês do ano traz festas, confraternizações, reuniões em família e com amigos, mas também é uma época para falar sobre um tema de extrema importância, o câncer de pele. A campanha Dezembro Laranja foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) para alertar a população sobre o câncer de pele, seus sintomas, prevenção e tratamento. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil registra uma média de 180 mil casos diagnosticados da doença por ano, ou seja, um em cada quatro casos de câncer no país, é de pele. A exposição desprotegida aos raios ultravioletas é a principal causa do câncer de pele, segundo a SBD, por isso é preciso evitar a exposição ao sol nos horários de maior incidência dos raios, entre 9h e 15h, e utilizar bloqueadores variados dos raios solares, entre chapéus, bonés, óculos com proteção UV, além do uso diário do protetor solar com fator de proteção 30, no mínimo, e reaplicação deste de duas a três horas, ou após longos períodos de imersão na água.

    As lesões iniciais podem não provocar sintomas, por isso é preciso ficar atento. O site www.kayoah.com possui uma triagem on-line, que auxilia na identificação de problemas variados de pele e indica opções para amenizar e tratar alguns desses problemas. Basta acessar o site e selecionar o menu “Triagem On-Line”. O portal, no entanto, não substitui a consulta médica, por isso é preciso atenção aos sintomas e nunca descartar a ida ao médico.

    Leia mais »
  6. Novembro Azul: um alerta ao câncer de próstata

    Campanha realizada mundialmente, o Novembro Azul é um importante alerta à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata, contatado como o segundo tipo de câncer mais comuns entre os brasileiros.  A doença é mais frequente em homens com mais de 50 anos, mas não é exclusiva desta faixa etária, por isso a importância de se fazer o exame antes dessa idade, principalmente se tiver presença do câncer em parentes de primeiro grau.

    A doença surge na próstata a partir de uma multiplicação anormal das células durante seu funcionamento da glândula masculina, provocando o surgimento do tumor. O Instituto Nacional de Câncer estima mais de 68 mil casos do câncer de próstata de 2018 até o final deste ano, resultando numa média de 66 novos casos a cada 100 mil homens.

    A doença apresenta poucos sintomas, por isso o

    Leia mais »